Uso-Câmera01a - ArteEducarJun15

Seguindo em frente a 16 anos!
Ir para o conteúdo
Meios de Comunicação > Audiovisual

Informática Educativa
Áudiovisual

USO DA CÂMERA I
De vídeo ou fotográfica que grave vídeo.

• ENQUADRAMENTO:
— O enquadramento é a denominação do ato de delimitar no visor da câmera cinematográfica, de vídeo ou fotográfica colocando o motivo dentro da área visível do visor.
• Enquadramento Horizontal: Enquadramento que é feito por padrão câmeras cinematográficas, televisivas e videográficas.
• Enquadramento Vertical: Filmagem com a câmera na posição vertical, portanto a cena apresentara estará fora da posição horizontal. Recurso usado para criar efeito especial, por exemplo: fingir uma escalada.
• Enquadramento Inclinado ou Diagonal: Filmagem ou gravação com a câmera inclinada ou na posição diagonal (45º). Esse tipo de tomada gera a sensação de desequilíbrio, instabilidade, mal-estar...

• TOMADA:
1. A tomada como definição é bem simples, cada tomada está associada ao ato de ligar (acionar) a câmera, filmar ou gravar e o ato de desligar. Este espaço de tempo é a tomada que está entre estes dois atos. Uma tomada poderá levar apenas alguns segundos ou menos tempo, até ser feita por horas.
2. A tomada poderá levar no máximo o tempo de uma cena, mas na maioria das vezes a cena será recheada de cortes com tomadas em planos, movimentos e ângulos diferentes.
3. A tomada para ser boa precisa de um bom enquadramento, iluminação e som, para que a cena ou seqüência não seja cansativa.
4. Toda tomada é formada por quadros ou fotogramas, no cinema são 24 quadros por segundo para se ter a sensação visual do movimento, já na televisão e vídeo são 30 quadros por segundos. O vídeo digital poderá variar o número de quadros, mas a qualidade padrão é a de aproximadamente 30 qps.

• CENA:
1. De forma geral é formada por uma ou mais tomadas, muitas delas em planos e ângulos diferentes, produzidas por uma ou mais câmeras. A cena possui um começo, um meio e um fim, sempre, a ordem até poderá estar invertida, mas para se caracterizar como uma cena é preciso existir estas etapas.
2. A cena poderá ser descritiva, mostrando uma paisagem ou vista, por exemplo. Narrativa, quando se refere a uma narração  ou descrição de fatos e acontecimentos, com ou sem diálogo. De diálogo, que predomina nos filmes e outras produções cinematográficas ou televisivas.
3. Então podemos definir uma cena como sendo cada uma das situações, fatos ou acontecimentos que fazem parte da evolução narrativa de um filme, novela, minissérie, documentário etc.

• CORTE:
1. O corte já foi comentado nas Técnicas Narrativas, mas para melhorar o entendimento do seu sentido é importante que tenhamos uma noção do significado desta ação nas produções cinematográfica, televisiva e em vídeo.
2. O corte é a interrupção de uma tomada, dentro de uma cena para mudar o plano, movimento e o ângulo de tomada da câmera.
3. Também é um corte a inserção de uma tomada diferente por uma outra tomada ou cena para identificar, mostrar, introduzir uma informação, descrever, entre outras possibilidades, enriquecendo uma narrativa ou seqüência. Exemplo: Um casal está comprando uma jóia, o rapaz quer presentear a namorada com um colar de pérola, a cena apresenta o casal dialogando e durante o seu decorrer é cortada a tomada e inserida a tomada mostrando em plano fechado o colar por alguns segundos, e em seguida, retorna a tomada anterior ou a uma tomada com uma das personagens.
4. Também é corte a substituição de parte de uma tomada por efeitos especiais que integram aquela cena.

— MOVIMENTO DE CÂMERA:
Para descrevermos os movimentos de câmera é necessário conhecermos o tipo de movimento possível e como ele acontece, além dos recursos que são necessários para a sua realização. Deverão ser usados com moderação para não tornarem as tomadas cansativas e desinteressantes.
• Câmera Fixa: Refere-se a toda tomada na qual a câmera esta fixada sobre o tripé, grua ou no ombro/mão do cameraman e não produz nenhum tipo de movimento real ou óptico, como o zoom ou deslocamento.
• Panorâmica (PAN): Trata-se do movimento da câmera sobre seu eixo, sem que haja deslocamento, descrevendo um percurso de 0° até aproximadamente 180°, ou ainda, de 0° até 360°. A panorâmica poderá ser feita de três maneiras: a Horizontal (PAN Horizontal), Diagonal (PAN Diagonal) ou Vertical (PAN Vertical).
1. É iniciada com  a câmera fixa e um ponto e após um período de gravação ou filmagem, geralmente entre 3 a 5 segundos. Iniciado o movimento, que poderá ser horário ou anti-horário até completar o percurso programado, então termina mais uma vez com a câmera fixa entre 3 a 5 segundos.
2. O procedimento é o mesmo com as tomadas em panorâmica diagonal ou vertical. O movimento da câmera sobre seu eixo, que poderá ser um tripé ou o ombro/mão do cameraman, deverá ser relativamente lento para que o público possa perceber a imagem e não ver um monte de riscos na tela, no entanto e em algumas situações a velocidade do movimento poderá ser mais rápida para provocar impacto.

PAN Horizontal (PAN H): Trata-se do percurso da câmera sobre o seu próprio eixo, na posição horizontal, da direita para a esquerda ou da esquerda para a direita, realizando um percurso angular entre 120º e 360º. Em algumas situações esta poderá ser até mesmo superior a 360º.
PAN Diagonal (PAN D): Trata-se do percurso da câmera sobre o seu próprio eixo, na posição diagonal (45º), de baixo para cima ou de cima para baixo, realizando um percurso angular como o descrito no item “Panorâmica”.
PAN Vertical (PAN V): Trata-se do percurso da câmera sobre o seu próprio eixo, na posição vertical, de baixo para cima ou de cima para baixo, realizando um percurso angular que poderá ser de até 360º.
PAN Rápida ou Chicote: Trata-se de um movimento muito rápido da câmera, sobre o seu próprio eixo, que tem a função de gerar impacto, como, por exemplo: a entrada de uma personagem, repentinamente, em uma determinada cena que provoque surpresa ou susto.
Travelling (TRAV): Trata-se do deslocamento da câmera para a direita ou à esquerda, para cima ou para baixo e para frente ou para trás. Poderá ser TRAV Horizontal ou TRAV Vertical, TRAV Diagonal e TRAV Circular. O deslocamento poderá ser mais lento que o objeto filmado, na mesma velocidade ou mais rápido.
TRAV Horizontal: Deslocamento da câmera, na horizontal, no ombro/mão do cameraman, em tripé com rodinhas, sobre um DOLLY  = Carro (carrinho que se desloca sobre trilhos), fixada numa Grua etc. A câmera poderá fazer um percurso reto, semicircular ou circular (TRAV Circular).
TRAV Vertical: Deslocamento da câmera, na vertical, no ombro/mão do cameraman, fixada a uma Grua, colocada no interior de um elevador etc. A câmera poderá fazer um percurso reto, semicircular ou circular (TRAV Circular).
TRAV Circular: Deslocamento da câmera no ombro/mão do cameraman, em tripé com rodinhas, sobre um DOLLY  = Carro (carrinho que se desloca sobre trilhos), fixada  a uma Grua, na Horizontal, Diagonal ou Vertical etc.
TRAV IN: Quando a câmera se desloca em direção do objeto filmado ou gravado.
TRAV OUT: Quando a câmera se desloca em direção contrária (se afasta) do objeto filmado ou gravado.

— ZOOM:
• Trata-se do efeito óptico de aproximação ou afastamento de uma imagem sem a necessidade do deslocamento da câmera. Este recurso ocorre quando é acionado na câmera o sistema de lentes na objetiva que aproxima ou afasta a imagem. Também é identificado o sistema de aproximação ou distanciamento realizado pelo zoom digital.
1. Zoom In: Trata-se da aproximação óptica da imagem permitindo que se obtenha mais detalhes que ocorram na cena ou personagem. Deve ser muito pouco usado para não se tornar cansativo e desinteressante.
2. Zoom Out: É uma tomada pelo afastamento da imagem ampliando o plano de visão do ambiente ou cenário. Deve ser muito pouco usado para não se tornar cansativo e desinteressante.

Voltar para o conteúdo