PplMache01a - ArteEducarJun15

Seguindo em frente a 16 anos!
Ir para o conteúdo
Como Fazer > Suporte

PAPEL MACHÊ I

Material

A relação fornecida abaixo está descrita em partes para facilitar a produção na quantidade que será necessária para o trabalho com os alunos.

Cuidados e Sugestões
Para que se obtenha bons resultados é necessário alguns cuidados e este quadro tem esta função, pois além dos cuidados com o produto também existe o cuidado com os alunos. Algumas receitas exigem o uso de fogo, produtos químicos, ferramentas elétricas, entre outras possibilidades, e elas poderão causar acidentes.

  • 03 Balde de plástico de 10 litros (01 parte).

  • 01 colher de madeira de cabo longo, dessas usadas para fazer doce.

  • Opcional - 1 panela de alumínio e um fogão ou fogareiro.

  • Papel não plastificado ou aluminizado - 1/2 parte - (jornal, revista, papel higiênico etc.).

  • Água potável 10 litros.

  • 3/4 do copo (de 300 ml) de vinagre branco de vinho.

  • 1 tubo grande de cola branca.

  • 1/2 kg de farinha de trigo.

  • Peneira fina de plástico grande.

  • Tecido fino para cobrir o balde (opcional).

  • 01 liquidificador de preferência industrial (opcional) - para a produção de massa mais fina.

  • Evite usar baldes de metal, pois o vinagre poderá reagir com o metal.

  • Não use embalagens de leite longa vida, capas de livros plastificadas, papelão muito grosso, papel ou papelão que solte tinta...

  • O papel não deve estar sujo de terra, tinta, sangue etc.

  • Se optar por uma massa mais fina, esta proporciona um acabamento mais preciso, cuidado ao retirar ou adicionar material para ser batido no liquidificador.

  • Não bata grande quantidade de massa de papel, o ideal é bater a quantidade de um terço da capacidade do copo do liquidificador e sempre adicione um pouco de água.

  • Após bater o papel despeje-o na peneira para escorrer o excesso de água.

  • Não deixe crianças muito pequenas usar o liquidificador.

  • Por ser usado vinagre é recomendável que durante a mistura os alunos, principalmente crianças usem luvas de plástico, retirem anéis e pulseiras.

  • Nunca desligue o aparelho da tomada puxando pelo fio.

  • É importante que seja seguida a sequência aqui apresentada, ela é baseada em experiências a partir do trabalho em sala de aula.

  • Não realizar o trabalho em local que tenha incidência direta da luz solar.

  • Local muito quente também é prejudicial para o trabalho.

  • O mingau de faria poderá ser feito em casa e colocado em um vidro para transportá-lo até a escola (opcional).

  • Todos aqueles que irão manipular a massa, seja durante a produção ou de elaboração do objeto ou elemento do projeto deverá estar com as mão limpas.

Como já foi descrito, nosso objetivo é a reflexão e um trabalho a partir de projeto, por este motivo este item, “Ato Pedagógico” irá descrever uma maneira de trabalhar com a receita disponibilizada a partir de um projeto.

Pré-produção (Antes)

1. Antes de iniciar a produção de massa de papel (Papel Machê) é importante que haja um objetivo para produzi-lo e com um tema que estará associado ao projeto. Além do tema é importante, sempre trabalhar informações sobre o produto que será produzido pelos alunos. Informações como: a História do Papel, sua origem, como ele é produzido, a importância do seu reaproveitamento, se ele prejudica ou não a natureza, como evitar este dano, para que serve o papel machê etc.
É muito importante que nesta fase o aluno esteja bastante informado sobre o projeto que será desenvolvido, não apenas aquilo que será estudado de um determinado conteúdo. Quando se trabalha com projeto, mesmo existindo um tema será impossível fechar o estudo sobre um único assunto ou tema. Durante o projeto muitas dúvidas surgirão e serão as mais diversas possíveis. É importante que o professor esteja preparado para esta situação e não apenas para dar respostas ou explicações, mas conduzir o aluno à pesquisa e busca de soluções.
Não basta juntar o material necessário para a produção do papel machê. É importante mostrar que este reaproveitamento, além de ser benéfico para a natureza, também é importante na busca de soluções para problemas comunitários e sociais.
Esta discussão deverá estar presente em todas as fases do trabalho.
O registro é importante para todas as fases do processo, pois nele constará não apenas o que deu certo, mas também as dificuldades e erros, as soluções e principalmente a retomada de forma diferente do processo para se obter melhores resultados. Quando se fala em registro as pessoas pensam em registro escrito, este erro deve ser bem trabalhado pelo professor, pois fazer registro fotográfico ou em vídeo é muito importante. Muitas escolas e comunidades não terão como fazê-lo, mas isso não impede que este registro seja feito por meio de desenhos de observação.
Descrever em papel ou computador, as fases e etapas do projeto para a produção da massa, com textos e desenhos (ilustrações). Muitas vezes é necessário que se produza um croqui ou planta. Projetar, fazendo desenho, as formas do objeto ou elemento que será produzido com a massa. É importante e necessário constar: a. o tamanho tridimensional (altura, largura ou espessura e comprimento), se possível em escala, principalmente se for uma maquete, a produção de um terreno etc.

Produção (Durante)

2. Durante o processo é importante que sejam dadas condições para que o aluno busque solução no momento que surgir algum tipo de dificuldade.
Conscientizar o aluno da importância de se produzir uma massa de papel de qualidade, não apenas destinado a um trabalho escolar. Mostrar para que este trabalho escolar tem importância para a sua comunidade escolar e social.
Proporcionar e possibilitar alguma forma participação durante o processo e destacar que cada “função” é importante, seja daqueles que estarão picando o papel, dos que estão selecionando o papel a ser usado, daqueles que estão discutindo o projeto, fazendo o registro, fotografando e ou gravando em vídeo, fazendo pesquisa (dentro ou fora da sala de aula)... A limpeza, no entanto, deve ser responsabilidade de todos.
Para que exista motivação todo aluno deverá estar ocupado, para isso dividir o grupo equipes é uma sugestão, desde que não impeça a participação de todos alunos durante cada uma das etapas do projeto.
Fazer com que o aluno entenda a metodologia adotada, não apenas a do professor, mas a deles, do projeto que elaboraram e conseqüentemente a importância do trabalho em grupo.

Pós-Produção (Depois)

3. Abrir espaços para discussão sobre as fases do projeto proporcionando debates, palestras, seminários... Nestes abrir para a participação de alunos, comunidade, outras escolas, convidar pessoas que tenham trabalho relacionado à educação, como as ligadas às Delegacias de Ensino, às equipes pedagógicas destas ou de órgãos superiores, de autoridades, a imprensa local etc.
Realizar exposição dos trabalhos não apenas interna, mas se possível para a comunidade, muitas vezes levar a exposição para fora da escola é importante para a comunidade escolar.
Nos dois casos os alunos é que conduzirão os trabalhos, sempre que preciso sob orientação do professor, no sentido de auxiliar e não comandar, pois em projeto o professor também participa do projeto.
Fazer uma previsão para continuidade do projeto, usando ou não a massa de papel, e de que forma ele poderá ser aprimorado.

Tenha em mãos todos os materiais antes de iniciar o trabalho.

PROCESSO

  • Picar o papel em pedaços bem pequenos (por volta de um x um cm.) e colocar num dos baldes.

  • Após ter picado todo o papel até atingir a metade da vasilha (balde). Então, com as mãos, soltar o papel (ainda sem água) picado no interior do balde.

  • Despejar água até atingir 3/4 da vasilha e adicionar 1/4 do copo de vinagre. Mexer muito bem e tampar o balde com a peneira ou uma toalha de tecido fino.

  • Deixar o papel de molho até dissolver por no mínimo 24 horas, mas o ideal é 72 horas.

  • A cada período de seis horas, no máximo, com a colher de pau mexer por uns três minutos e não esquecer de cobrir o balde com um tecido ou filó (tule).

  • Opcional - Após o período de descanso, bater usando um liquidificador, pequena quantidade da massa de papel por vez, com um pouco de água. Não colocar mais de um terço da capacidade do copo do liquidificador se for doméstico. Essa opção produzira uma massa mais fina e com maior qualidade, produzindo superfícies mais lisas.

  • Opcional - Ao terminar cada etapa despejar o conteúdo do copo na peneira, que deverá estar sobre um balde vazio e deixar escorrer. É conveniente que alguém vá mexendo para acelerar a eliminação do excesso da água. Não é para secar ou deixar quase seco,  o objetivo é apenas retirar o excesso de água para obter uma pasta não muito mole e úmida. Colocar a massa obtida no terceiro balde que deverá estar sem água. Essa ação permite um maior controle sobre a eliminação da água, diferentemente do ato de espremer com as mãos onde a pressão e a força será diferente para cada aluno.

  • Caso opte por não bater, retirar pequenas quantidades da massa e as colocar para escorrer e proceder da mesma maneira que no liquidificador.

  • Opcional - Ao terminar de escorrer a massa, acenda o fogareiro ou fogão. Colocar na panela a farinha de trigo e a água, é importante mexer continuamente. Deixar cozer até a obtenção de um mingau relativamente grosso. É importante que o mingau fique bem cozido. A farinha de trigo tornará a massa mais plástica quando em forma de mingau. Esse mingau poderá ser feito também com amido de milho.

  • Opcional - Esperar o mingau esfriar e adicionar gradativamente à massa de papel amassando até a obtenção de uma massa homogenia. Não colocar água. O resultado final é de melhor qualidade, mais durável e resistente ao ataque de pragas e insetos. Passe para o item 12.

  • Se no entanto optar misturar a farinha diretamente à massa de papel, proceda da seguinte maneira: aos poucos adicionar o meio kg de farinha de trigo, amassar muito bem até a obtenção de uma massa espessa ou grossa, mas uniforme.

  • Agora, gradativamente, adicionar a cola branca, sempre amassando, até obter uma massa com liga.

  • Adicionar à massa o 1/2 copo de vinagre. Amassar muito bem, pois o vinagre funciona como fungicida e conservante.

  • A massa está pronta para o uso.

  • É recomendado o não armazenamento, mas caso seja necessário colocar a massa ou o trabalho em um saco plástico e lacrar, em seguida levar à geladeira por no máximo dois ou três dias, mas não levar ao congelador.

  • Quando for usar retirar da geladeira meia hora antes.

  • Para secar: colocar o trabalho em local aberto, ventilado e que não receba luz solar direta, não seja quente, poluído etc. O local também não deverá ter fumaça, poeira e umidade. Nunca usar um forno para a secagem, pois o trabalho poderá ficar gretado ou deformado em razão da secagem acelerada.

  • A água obtida ao escorrer a massa deverá ser jogada em um vaso sanitário, mas somente após ser coada em um tecido fino. Nunca jogar numa pia ou corrente de água.

Voltar para o conteúdo