PplArtesanali1a - ArteEducarJun15

Seguindo em frente a 16 anos!
Ir para o conteúdo
Como Fazer > Suporte

PAPEL ARTESANAL I

Material

A relação fornecida abaixo está descrita em partes para facilitar a produção na quantidade que será necessária para o trabalho com os alunos.

Cuidados e Sugestões
Para que se obtenha bons resultados é necessário alguns cuidados e este quadro tem esta função, pois além dos cuidados com o produto também existe o cuidado com os alunos. Algumas receitas exigem o uso de fogo, produtos químicos, ferramentas elétricas, entre outras possibilidades, e elas poderão causar acidentes.

  • Jornal velho.

  • Cola branca.

  • Vinagre branco.

  • Água sanitária com alvejante.

  • Liquidificador.

  • Três baldes com capacidade de 5 litros.

  • Colher de madeira ou luva plástica (melhor opção).

  • Bacia plástica retangular pouco maior que uma folha A4. Com as medidas mínimas: comprimento 37 cm; Largura 28 cm; altura 20 cm.

  • 40 percevejos galvanizados.

  • Peneira plástica, sem cabo, com diâmetro aproximado de 20 cm ou caso prefira, Chassi com tela plástica bem fina. A parte interna deve ter a medida de uma folha A4 = 21 x 29,8 cm. Veja "Chassi de Madeira".

  • Três tecidos de flanelas incolores de boa qualidade ou outro tecido absorvente que não descore e não solte fibras, maior que uma folha tamanho A4. Em qualquer um dos casos é preciso ser um tecido grosso.

  • Escorredor de macarrão de plástico (mais barato)

  • Água corrente.

  • Balcão de madeira ou cimento grande para secagem do papel fabricado.

  • Pano fino para coar a água que sobra do processo de fabricação.

  • Pedaços de tecido fino, maior que a folha A4, de algodão branco.

  • Pesos - quatro tijolos de argila queimada empacotados com plástico.

  • Fita crepe.

  • Duas placas de madeira, medindo 32 x 25 x 4 cm.

  • Esta técnica não impõe restrições, poderão produzir papel alunos da Pré-escola, do Ensino Fundamental e do Médio.

  • As placas de madeira deverão ser de uma madeira de boa qualidade e que não empene com a umidade.

  • Evitar o uso de madeira com espessura inferior a 4 cm, pois elas empenam com maior facilidade e o seu peso será menor.

  • Para cada prensa usar como peso no mínimo quatro tijolos.

  • Não esqueça de colocar para secar, em local arejado, os tecidos usados durante o processo de fabricação do papel.

  • É recomendado o uso de um liquidificador industrial, mas caso esta opção não seja possível, ao fazer uso do liquidificador doméstico, adicionar pouca poupa de papel por vez.

  • Caso não haja luz elétrica na escola, basta usar um moedor de carne com o cortador frontal usado para moagem mais fina possível.

  • Ao usar o liquidificador ou moedor de carne manual evitar a aproximação de alunos menores de 14 anos.

  • Esta proposta é a mais simples, mas os resultados são tão bons quanto as mais sofisticadas.

  • É preciso muita paciência e calma durante a produção do papel e a sua retirada da forma.

  • Normalmente ao pressionar o percevejo com o dedão é suficiente para fixá-lo, mas quando a madeira é um pouco dura é conveniente usar um martelo de sapateiro (o pequeno).

  • O local onde é colocada a folha de papel deve ser arejado, não sofrer a ação da luz direta, poluição ou fumaça.

  • explicar aos alunos que não se deve colocar a mão ou dedos sobre o papel ainda úmido. A acides e a gordura das mãos poderão ser danosos para a qualidade do papel.

  • Este papel poderá ser reaproveitado.

Como já foi descrito, nosso objetivo é a reflexão e um trabalho a partir de projeto, por este motivo este item, “Ato Pedagógico” irá descrever uma maneira de trabalhar com a receita disponibilizada a partir de um projeto.

Pré-produção (Antes)

1. A proposta deve ser desenvolvida a partir de uma pesquisa e da discussão sobre a importância do reaproveitamento de materiais e sucatas, o dano provocado por lixões e mesmo a incineração.
É interessante que o trabalho seja baseado em um projeto e a partir dele desenvolver todas as etapas de produção do papel.
Desenvolver uma pesquisa sobre a origem do papel e como ele é produzido industrialmente. Excelente trabalho para a disciplina História; Ciência: reações químicas e História da Ciência; Português: Surgimento da escrita e sua história, representação gráfica, registro etc.; Arte: História da Arte, modelação, dobradura etc.; Matemática: quantificar, medir (peso, massa, tamanho...), o registro de teorias e fórmulas matemáticas.
Pesquisar também quando o papel é uma matéria-prima para a produção de outros produtos.
Definir com os alunos como será utilizado o papel após a sua produção.

Produção (Durante)

2. Nesta etapa, o professor deverá estar atento aos problemas encontrados pelos alunos e não apenas responder ou dar a solução, mas incentivar a busca por uma solução.
Proporcionar meios para explicar todas as reações químicas que ocorrem durante o processo de fabricação da pasta (polpa), de fabricação do papel e sua secagem.
Proporcionar ao aluno a oportunidade de registrar todas as etapas do processo através da escrita, desenhos, pinturas, fotografia, gravação em áudio ou vídeo etc.
Ao final da produção iniciar o trabalho de aproveitamento do papel produzido. Uma proposta bastante interessante á a produção de um livro; objetos como: a. Caixas, b. Embalagens, c. Revestimentos, d. Cartão de Natal, Páscoa, do Dia dos Pais, Mães etc.

Pós-Produção (Depois)

3. Fazer exposição dos trabalhos, com a participação da comunidade escolar, se possível,  para mostrar o resultado do trabalho coletivo.
Durante a exposição fazer demonstração do processo de fabricação ou apresentar desenhos, pinturas, fotografias ou vídeos, respeitando a sequência do processo.
Discutir com o aluno qual foi a importância desta proposta para cada um deles e para a escola.
Fazer, quando possível, apresentações fora da escola.
Quando houver a produção de um livro impresso (através de uma das técnicas, como: xilografia, gipsografia, tipografia...), garantir que pelo menos uma cópia deste seja doada à sala de leitura da escola e que tenha o autógrafo de todos os alunos.

Tenha em mãos todos os materiais antes de iniciar o trabalho.

PROCESSO

I. Fixação da tela no chassi:

1. Esticar a tela sobre uma superfície lisa e colocar o chassi sobre ela.

2. Dobrar o lado maior da tela sobre a lateral do chassi e fixar oito percevejos, como é demonstrado na figura.

3. Repetir o processo, no lado oposto, mantendo a tela bem tencionada e sem deformação, por esta razão é preciso fixar os percevejos com calma.

4. Fazer o mesmo nas outras duas laterais, sempre usando oito percevejos.

II. Preparação da polpa:

1. Picar o jornal em pedaços bem pequenos e colocá-los num dos baldes.

2. Colocar água até a altura  do papel e deixar descansar por duas hora. Misturar a polpa que esta se formando e deixar descansar por mais 48 h.

3. Após as quarenta e oito horas escorrer a polpa colocando-a no escorredor de macarrão. Espremê-la para retirar a água - esta água terá muita tinta.

4. Após a eliminação da água colocar a polpa no balde, em seguida lavá-la e despejar água até a cobertura da polpa, misturar.

5. Colocar uma colher de chá de água sanitária para cada litro de polpa, por exemplo: a polpa obtida misturada à água tem três litros, então colocar três colheres de chá. Misturar muito bem com uma colher de pau ou com as mãos, mas usando luvas. Deixar descansar por no mínimo 25 horas.

6. Após este período colocar a polpa no escorredor de macarrão, usando as luvas plásticas, e lavar a polpa obtida, espremer e escorrer. Colocar água no balde que estava a polpa e deixar por umas duas horas para eliminar resíduos da água sanitária.

7. Após este período colocar a polpa no escorredor de macarrão, usando as luvas plásticas, e lavar a polpa obtida, espremer e escorrer. Colocar água no balde que estava a polpa e deixar por umas duas horas para eliminar resíduos da água sanitária.

III. Encapar o tijolo:

1. Abrir quatro sacos de arroz, cortando o fundo e cortando longitudinalmente.

2. Picar o jornal em pedaços bem pequenos e colocá-los num dos baldes.

IV. Produção do papel:

1. Colocar água destilada, não clorada, na bacia plástica até atingir três quartos de seu volume total.

2. Colocar e misturar seis colheres de sopa de cola branca. A água deverá estar meio pegajosa. Enquanto isso colocar uma das flanelas sobre o balcão esticando-a.

3. Pegar uma porção da polpa e colocá-la na bacia. Misturar com vigor.

4. Rapidamente colocar o molde (chassi com tela) a partir da posição vertical, fazendo o movimento descrito na animação, até posicioná-lo horizontalmente e submerso.

5. Levantar o molde vagarosamente e mantê-lo suspenso para escorrer o excesso de água.

6. Colocar o molde sobre a flanela no balcão e esperar alguns minutos para que o excesso de água seja absorvido pela flanela. Enquanto aguarda esticar a outra flanela e deixar próximo a placa de madeira e a última flanela.

7. Pegar a forma e com muito cuidado virá-la sobre a segunda flanela. Bater com firmeza, mas não com muita força para que a folha de papel descole do molde.

8. Após soltar a folha, retirar o molde e cobrir a folha com a outra flanela.

9. Colocar a placa de madeira sobre a terceira flanela, os tijolos sobre a placa de madeira distribuídos uniformemente. Apoiar sobre os tijolos laterais e fazer uma certa pressão para que haja absorção da água.

10. Após trinta minutos, com cuidado, retirar os tijolos, a placa de madeira, a terceira flanela, levantar a folha de papel e, com cuidado, colocá-la sobre o balcão (caso ele seja de cimento) ou sobre um tecido qualquer, por exemplo os de saco de farinha de trigo (lavados e secos).

11. Cobrir as folhas produzidas com o tecido fino de algodão.

12. Repetir o processo para a produção de outras folhas

13. Após o término da produção de papel: colocar o tecido fino dentro do escorredor de macarrão e despejar a água para coar o resto de polpa de papel, só então desfazer da água.

Voltar para o conteúdo