PgmTerra01a - ArteEducarJun15

Seguindo em frente a 16 anos!
Ir para o conteúdo
Como Fazer > Tinta Fabricação > Pigmentos

PIGMENTO NATURAL TERRA I

ATENÇÃO

1. Todos os pigmentos e as tintas das nossas receitas usam como conservante o vinagre branco de cozinha, mas é possível usar conservantes químicos. No primeiro caso é menos provável ocorrer intoxicação ou alergia por ser menos tóxico que os conservantes químicos. Portanto se optar por conservantes químicos não usar a tinta com crianças menores de dezesseis anos de idade.
2. Os corantes químicos, como os a base de chumbo, alumínio, cobre e outros produtos químicos, são altamente tóxicos e residuais, por este motivo recomendamos os corantes alimentícios. O uso de corantes ou pigmentos químicos deve se restringir apenas aos cursos técnicos do ensino médio e superior.
3. A produção de pigmento natural é bastante simples, mas exige uma série de cuidados com o meio ambiente e também com a produção. A terra para ser usada na produção de pigmento deve ser a mais pura possível, ou seja, sem sujeira e sem estar misturada com areia também não pode estar misturada com outros tipos e cores de terra. É solúvel em água, com bom poder de tingimento e com pouca acidez. Os pigmentos terrosos são os mais resistentes à luz e duráveis, por esta razão são ótimos para trabalhar na produção de tinta que possa sofrer com maior intensidade a ação da luz.

Material

A relação fornecida abaixo está descrita em partes para facilitar a produção na quantidade que será necessária para o trabalho com os alunos.

Cuidados e Sugestões
Para que se obtenha bons resultados é necessário alguns cuidados e este quadro tem esta função, pois além dos cuidados com o produto também existe o cuidado com os alunos. Algumas receitas exigem o uso de fogo, produtos químicos, ferramentas elétricas, entre outras possibilidades, e elas poderão causar acidentes.

  • Embalagem para armazenar a terra coletada, como saco plástico, balde, lata etc.

  • Arame ou barbante para amarrar o saco plástico.

  • Pá de jardinagem pequena.

  • Enxadão de jardineiro pequeno.

  • Terra.

  • Peneira de tamanho média, bem fina.

  • 3 bacias de plástico do tamanho ou maior que as peneiras e com borda alta.

  • Bacia de plástico, com borda baixa e larga (tipo forma de pizza), para a secagem da terra.

  • Água destilada, não usar água clorada ou tratada.

  • Recolher terra apenas de locais que não estejam contaminados.

  • Recolher em embalagens diferentes terra que tenha cor ou tom variado.

  • Terra misturada com areia deve ser descartada.

  • A argila também poderá ser usada.

  • O uso de ferramentas de jardinagem é mais seguro, mas se os alunos forem de séries/anos iniciais usar ferramentas de plástico.


Como já foi descrito, nosso objetivo é a reflexão e um trabalho a partir de projeto, por este motivo este item, “Ato Pedagógico” irá descrever uma maneira de trabalhar com a receita disponibilizada a partir de um projeto.

Pré-produção (Antes)

1. Coleta do material, terra, em local que não prejudique o meio ambiente, que não esteja contaminado e que possa fornecer terra de cores e tons variados.

Produção (Durante)

2. Durante o processo é importante que seja pesquisada a origem dos materiais utilizados e seguidos de discussões e debates. Como sugestão propomos que a sala seja dividida em grupos de no máximo três pessoas e cada grupo ficará responsável por uma cor do pigmento. Discuta a finalidade dos pigmenbtos e que ele não é produzido para sujar espaços públicos, mas sim criar um ambiente mais limpo e agradável. Faça uma análise do que é pichação e quais são os males proporcionados por ela. Registrar em vídeo ou fotografia.

Pós-Produção (Depois)

3. Debates, exposições, seminários, feiras onde o aluno além de expor os trabalhos, também realiza em público a produção de pigmento. É bastante interessante que sejam convidados pessoas da comunidade escolar, de órgãos públicos, como das delegacias de ensino etc. Exibir vídeo ou outras imagens do processo de trabalho.

Tenha em mãos todos os materiais antes de iniciar o trabalho.

PROCESSO

  • Limpar a área onde será retirada a terra, tirando gravetos, areia, folhas secas ou não, pedriscos e pedras etc.

  • Com auxílio de uma pá pequena para jardineiro colocar aos poucos a terra na peneira mais grossa e peneirar no balde.

  • Jogar fora o material que sobrar na peneira.

  • Repetir o processo até peneirar toda a terra da mesma cor.

  • Com a pá de jardineiro, em terreno plano, retirar a terra cavoucando e em seguida colocar na embalagem. Caso esteja trabalhando em um barranco tomar cuidado com desbarrancamento, retirar a terra raspando a parede e recolhendo na embalagem.

  • Colocar sobre a terra a mesma quantidade de água. Aos poucos peneirar, usando a peneira mais fina, a pasta (+ líquida) obtida.

  • Jogar fora a sobra na peneira.

  • Repetir o processo até peneirar toda a terra.

  • Repetir o processo com as variações tonais e de coloração, armazenando em embalagem diferente.

  • Deixar a mistura decantar por no mínimo 2 horas. A cada 2 horas, com cuidado, retirar a água até sobrar apenas a terra no fundo da vasilha.

  • A coloração da terra varia do vermelho ao cinza escuro, passando pelo siena natural ou queimada, ocre etc.

  • Caso não vá usar toda a terra obtida de imediato despejar o conteúdo na bacia baixa e larga, então colocar em local arejado para secar. Mexer a terra continuamente para facilitar a evaporação.

  • Outra técnica de secagem que proporciona bons resultados é usando um tecido branco e grosso para escorrer a água. Este tecido poderá ficar esticado sobre uma bacia e sobre ele colocar a terra. Deixar escorrer por pelo menos 24 horas.

Voltar para o conteúdo