O QUE É LEITURA? - I - ArteEducarJun15

Seguindo em frente a 16 anos!
Ir para o conteúdo
Comunicação e Expressão > Escrita & Leitura

Por: Vivaldo Armelin Júnior - 2009 - Parte I

• O que é Leitura?
Leitura é apenas decodificar as representações gráficas que proporcionam a escrita? Será que não está na hora de repensar essa visão? Com o desenvolvimento tecnológico será que não é hora de ocorrer algum tipo de mudança?
Estas questões são apenas as básicas, talvez nem mesmo as mais importante, mas são elas as desencadeadoras de um grande debate. Não é possível em nossos dias entender e ter uma visão arcaica do que é leitura. A definição de leitura é muito mais ampla do que aquela que nos foi dada pelos nossos avós. Não pense que aquela definição estava errada ou era inadequada, era sim a de um momento, uma época, quando o conhecimento, a tecnologia e a pesquisa não produziam tantos resultados e eram mais simples.

• É engraçado que técnicos, engenheiros e outros profissionais que estão envolvidos no desenvolvimento tecnológico tenha uma visão mais ampla sobre a leitura e as suas diversas possibilidades que a dos responsáveis pelo processo educacional, neste caso incluo com maior ênfase as administrações públicas, pois se elas realmente investirem em educação as coisas vão mudar. O professor tendo condições materiais e técnicas para trabalhar tenho toda a certeza que mudarão.
Neste contexto temos uma sala de aula que mantém uma visão restrita e simplista de leitura, ou seja, a simples decodificação da escrita, e ainda na idade da pedra, pois a lousa é ainda o principal instrumento de registro e aprendizado.

• O elemento motivador para a leitura, nos nossos dias, é o conjunto das imagens, sons, dos odores, sabores e do tato. Tudo isso tem grande relação com a tecnologia. Importante: A escrita está inserida neste contexto.
Os jornais, as revistas, por exemplo, que em outras épocas continham grandes textos e com letras bem pequenas, descobriram que os textos podem ser mais curtos desde que associados a imagens e com isso, transmitir suas mensagens e informações de maneira mais eficiente. O mesmo aconteceu com a televisão, que usa a integração entre as diversas formas de imagens, os textos e o áudio.

1. Para que o aluno tenha motivação e interesse na leitura é importante demonstrar que a leitura não é cansativa ou desinteressante.
2. Quando se apresenta as diversas formas de leitura o aluno terá a curiosidade aguçada, pois se trata de um novo desafio.
3. Por exemplo: A leitura poderá ser feita interpretando quadrinhos de uma HQ, sem os textos no interior de balões, quadros descritivos ou narrativos.
4. Em seguida, dar a oportunidade do aluno colocar o seu texto nos balões e quadros.
5. Por último, apresentar o texto original. Nota: a HQ poderá ser até uma criação do aluno.

Exemplo 2:
Gravar em vídeo ou fotografar uma atividade com os alunos produzindo uma salada de fruta. Importante: Não gravar o áudio no vídeo.
1. Gravar ou fotografar apenas as etapas do processo, como: o ato de lavar as frutas, depois descascar, picar etc.
2. Gravar ou fotografar a mesma etapa por dois ângulos e planos diferentes.
3. Gravar ou fotofgrafar o resultado final.
4. No computador editar o vídeo ou fotografia (neste caso em uma apresentação ou convertendo para vídeo; o MS Photo Store 3 é uma excelente ferramenta). Importante: Cada aluno deverá fazer a sua edição, portanto cada um terá a sua visão.
5. Inserir legenda em cada cena/tomada/quadro descrevendo o processo e salvar como projeto o vídeo ou apresentação.
6. Após a inserção da legenda, gravar o áudio de acordo com a legenda. É neste momento que o professor proporcionará a correção coletiva dos textos.
7. A atividade descrita acima, item 6, deverá ocorrer em um único computador e com a participação de todos.
8. Assistir aos projetos para verificar se estão adequados e, por fim, salvar no formato vídeo ou apresentação.
9. No primeiro caso poderá ser feita apresentação em televisão, projetor multimídia ou no próprio computador.
10. no segundo caso, apenas no computador, mas poderá ser projetado em uma tela com a integração de um projetor multimídia ou um antigo datashow.

O mais importante é ter o registro, fotográfico ou em vídeo, de cada uma das etapas da produção e depois quando da exibição/apresentação solicitar o registro escrito.
É importante lembrar que para a produção em vídeo ou fotográfica será necessário a leitura de textos, outros vídeos e imagens, fazer o registro, criar um  roteiro, selecionar uma receita etc.

• A leitura, quando imposta, de textos clássicos não produzirá resultados, por um único motivo, ela nos nossos dias não é motivadora, a televisão, o computador (a internet, jogos etc.) proporcionam muito mais interesse e curiosidade. Por sua vez, a mesma leitura vinculada á produção de uma peça teatral, a criação de um audiolivro ou audiobook (em inglês), um vídeo ou apresentação...

• Para finalizar, é importante refletir e modificar a prática, por ser parte do processo de inovação e crescimento cognitivo, mas importante não abandonar seus conhecimentos ou práticas mais antigas, mesmo aquelas consideradas ultrapassadas, pois delas poderão surgir práticas novas e inovadoras. O conhecimento não pode ser desprezado.

Voltar para o conteúdo