LpGrafite01a - ArteEducarJun20

Seguindo em frente a 17 anos!
Ir para o conteúdo

LpGrafite01a

Arte > Artes Plásticas > Desenho
Lápis Grafite 02 • Lápis de Cor 01 •
Lápis Grafite 02
Por: Vivaldo Armelin Jr.
• O desenho na sala de aula deve ser diferenciado, não apenas o trivial, ou seja, do dia a dia do aluno. Seu papel não é fazer com que o aluno se torne um artista, mas desenvolva suas capacidades e potenciais, como a coordenação motora e amplie a possibilidade de leitura.
• Um desenho é uma meio de expressão e comunicação humana, portanto tem suas exigências de acordo com a técnica, grafite, giz de cera, giz pastel seco ou oleoso, carvão vegetal, lápis de cor, aquarela etc.
• O grafite é aqui estudado e o objetivo é produzir imagens com conteúdo de elementos estudados, não importa a disciplina, pois favorecerá a fixação de teorias e da prática. O visual é importante para que haja um maior envolvimento.
• O aluno raramente terá acesso a todos tipos de grafite, desde o lápis até os bastões de grafite integral, pelo custo e a falta do mesmo para o trabalho do professor. Ele está dividido de acordo com a dureza, sendo, a série "H" os mais duros, varia de 2H até o 9H, o grau de dureza aumenta quanto maior o número. Erra regra vale para o lápis e para os bastões de grafite integral. Os mais macios são os da série "B", que varia entre 2B até 9B, quanto maior o valor, mais macio será.
• Cada lápis ou bastão, dependendo do grau de dureza será usado para um fim, os mais duros produz marca mais clara e os mais macios mais escuras. Mas cuidado, evite que o aluno coloque a mão sobre as áreas já desenhadas, o grafite poderá fixar-se nas mãos e sujar o trabalho.
• O ideal é fixar o desenho com um spray fixador, mas seu custo também é proibitivo para aluno e professor, para substitui-lo sugere-se o "laque", aquele produto que era muito usado por mulheres para fixar o cabelo. Outra possibilidade é diluir a cola branca com água, na proporção de 50% e depois usar um rolinho ou pincel, ou ainda, um borrifador, para fazer a cobertura. Sua secagem é de aproximadamente uma hora.
• Os melhores suportes são papeis que sejam ásperos e absorventes, mais grossos e que não sejam frágeis. O papel artesanal é uma boa pedida, aqui no Portal ArteEducar ensinamos como fazê-lo. O papel canson, mais caro é uma ótima opção, mas poderá ser o papel craft, aquele dos embrulhos, geralmente pardo, mas poderá ter outra cor ou variação tonal do pardo, mais claro ou escuro. O papel jornal também é uma ótima opção, tem a vantagem de ser barato e pode ser produzido por reciclagem. O papelão corrugado é outra opção, mas não poderá ter dobra ou rugas.
• Este desenho, como o primeiro acima foi produzido com o lápis grafite, ou seja, um trabalho manual.
• Este, acima, foi feito no computador simulando o grafite com a ferramenta "Lápis", o problema é que nem todos os softwares produzem resultados satisfatórios quanto a semelhança com o lápis físico.
• Usando um lápis grafite da série "H", mais precisamente o 4H, na técnica de pontilhado, criou-se a representação da melancia, uma opção para uma excursão pedagógica em uma feira, mercado, supermercado e até em um sítio.
• Para uma comparação, foi reproduzido o mesmo desenho, com a técnica de pontilhado, mas agora com tinta nanquim, onde observamos grande diferença. O lápis nunca será tão intenso, por essa razão, não deixar o aluno saturar nos traços e marcas.
• O grafite produz resultados interessantes quando bem utilizado, como o nanquim, mas lembre-se de que são técnicas diferentes de desenho. Nestes dois últimos desenhos, um de grafite, à esquerda, e o da direita nanquim, mostram que as duas técnicas têm a suas qualidades, o trabalho final vai depender da proposta de trabalho.
Bom trabalho!
Lápis de Cor 01
Por: Vivaldo Armelin Jr.
Material:
(A relação fornecida abaixo está descrita em partes para facilitar a produção na quantidade que será necessária para o trabalho com os alunos).
  1. Lápis grafite.
  2. Papel ou madeira ou papelão.
  3. Opção: fixador em spray ou por borrifo.
Cuidados e Sugestões
(Para que se obtenha bons resultados é necessário alguns cuidados e este quadro tem esta função, pois além dos cuidados com o produto também existe o cuidado com os alunos. Algumas receitas exigem o uso de fogo, produtos químicos, ferramentas elétricas, entre outras possibilidades, e elas poderão causar acidentes).
  • Não usar sobre suporte escuro.
  • Também não usar sobre suportes plastificados.
  • O grafite varia em grau de dureza e maciez, os mais duros são da série h e os mais macios da série b, portanto o lápis 9h é muito duro e o lápis 9b é extremamente macio.
  • A escala é a seguinte: 9h, 8h, 7h, 6h, 5h, 4h, 3h, 2h, h, hb, b, b2, b3, b4, b5, b6, b7, b8 e b9.
  • Os lápis mais duros produzem traços mais claros. Por sua vez os mais macios produzem traços mais escuros e marcante. Em nenhum dos casos será atingido o preto total, mesmo quando ocorre a saturação.
  • Papeis porosos proporcionarão melhores resultados.
  • Aplicar com cuidado o fixador.
  • O lápis poderá ser apontado com um estilete (melhor, mas mais perigoso) ou apontador. Evitar apontar com faca.
PROCESSO (FASE A)
++++ Tenha todos os materiais em mãos antes de iniciar o trabalho. +++
COMO SEGURAR O LÁPIS?
• Muito boa para produzir contornos, sombras sutis, marcas, contornos...
  • Ideal para traçar linhas:
  • Retas, curvas, pontilhadas, tracejadas, hachuradas etc.
• Esta forma de segurar é a ideal para se obter áreas com gradação, de sombra ou de cobertura.
• Muito boa para a produção de cobertura.
• Ideal para a criação de contornos. Pequenas áreas de gradação tonal. Sombreamento.
PROCESSO (FASE B)
+++ Tenha todos os materiais em mãos antes de iniciar o trabalho. +++
1. A melhor ponta para se desenhar com lápis é a feita com o auxílio de uma lixa fina de madeira ou lixa de unha.
2. Para criar efeito de esfumado usar os dedos ou um esfuminho.
3. O trabalho pode ser feito a partir de linhas cruzadas, paralelas, hachuradas, perpendiculares, pontilhado e esfumado.
4. Após a conclusão do trabalho, se desejar, aplicar o fixador a uma distância mínima de 30 cm e não deixar escorrer. Aplicar três mãos espaçadas por aproximadamente 5 minutos.
5. A mistura de uma parte de cola branca com uma parte de água também é uma forma de plastificar. Será necessário um borrifador manual.
6. O suporte deverá estar na posição vertical e não inclinado ou horizontal.
7. A luz e sombra será obtida usando a cor do suporte, o esfumado e o distanciamento entre as linhas ou pontos.
8. O pontilhado é uma solução inteligente para criar áreas atmosféricas, esfumadas e de passagem tonal.
9. É importante que iniciar o trabalho a partir da observação de modelos e não apenas em desenhos da imaginação.
10. Analisar em primeiro lugar as formas do modelo (copo, fruta, enfeite, folha, entre outros).
11. Realizar vários desenhos rápidos.
12. Analisar as áreas claras e as escuras.
13. Estudar a gradação tonal das áreas iluminadas para as escuras.
14. Evitar o uso de borracha e quando for necessário usar um bem macia.
15. Usar uma borracha macia poderá produzir efeitos bastantes interessantes, como brilho, reflexo, metal etc.
16. Outra ferramenta interessante é o esfuminho, bastão de papel destinado a criar o efeito esfumado.
17. A utilização da técnica mista trará outros efeitos, como: aquarela e lápis; guache e lápis; nanquim e lápis etc.
Voltar para o conteúdo