Inclusão ou exclusão?01 - ArteEducarJun15

Seguindo em frente a 16 anos!
Ir para o conteúdo
Educação > Educação Especial

Inclusão I

Puro descaso e redução de "despesas"
Por: Vivaldo Armelin Júnior - 12/05/2017


• Esse país não se preocupa com a educação, não cuida de seu povo, os governantes só mentem, principalmente quando se tem governo ilegítimo, tudo é feito contra o povo. Contra eles, políticos, nada, só benefícios.
• O problema é que pessoas com problemas mentais, físicos e intelectuais são os mais prejudicados, pois, literalmente, são jogados em salas de aulas que deveriam ter no máximo 10 ou 12 alunos e ter um acompanhante especializado para que este pudesse ter pelo menos amenizado seu problema em se tratando do conhecimento e integração social. Isso não acontece, muitas salas têm mais de um aluno com algum problema, deveria ter apenas um, mas não, como já afirmei, essas crianças e jovens são simplesmente jogados em salas de aula despreparadas física e material para recebê-los. Muitas com mais de trinta alunos, condição que inviabiliza qualquer tipo de atenção especial por parte do professor. Caso dê maior atenção a estes a sala virará um tumulto, principalmente porque muitos pais simplesmente não assumem seu papel de responsável pela educação dos seus filhos, educação que vem de casa. a escola, portanto, professores, diretores, coordenadores pedagógicos, tem a obrigação de formar e não educar comportamentalmente, isso é responsabilidade da família e nada é feito pelo poder público para cobrar destes pais ou responsáveis suas responsabilidades.
• É muito comum ter um acompanhante sem nenhum conhecimento no trato com crianças especiais e mesmo assim esses, que não são os culpados, não permanecem o tempo todo ao lado do aluno, pois seu horário de trabalho é inferior ao de estudo da criança.
• A inclusão no Brasil, com raríssimas exceções, é um desastre, ou melhor, é um caso de calamidade pública. Infelizmente a sociedade brasileira compartilha com essas atitudes dos governantes e não reage contra elas.
• A educação de seres humanos especiais deveria ser também adequada às necessidades destes alunos. Ter um acompanhante especializado e não ser apenas um número para as estatísticas mentirosas geradas por estes políticos.
O descaso do poder público e dos administradores de escolas privadas
Por: Vivaldo Armelin Júnior - 10/03/2014

• As escolas públicas, sejam municipais ou estaduais e também as privadas não estão promovendo a inclusão, na realidade estão jogando uma criança especial em salas com excesso de alunos, condição que não permite um trabalho mais próximo.
• Isso não é incluir, na realidade estão excluindo, pois os alunos especiais não recebem a devida atenção por parte do professor.
• Uma sala de aula com aluno especial deveria ter no máximo dez alunos e um especial, mas isso não acontece.
• Os políticos mentem descaradamente no que se refere à inclusão. Eles empurram esses alunos como se fossem apenas número.
• Outra questão importante se refere aos professores. Esses profissionais são muitas vezes obrigados a pagar do bolso cursos para poder trabalhar com alunos especiais.
• Como profissionais quem deveria garantir essa formação, até mesmo dispensando das aulas, seria o poder público.
• Alunos especiais não são mercadoria para serem tão desrespeitados pelo poder público, são seres humanos.
• Quando o professor tem condições materiais e de trabalho cumpre seu papel. O problema que estão "jogando" os alunos especiais em sala de aula com professores não especializados e nem mesmo preparados para tal trabalho.
• É preciso que a população que paga os impostos seja respeitada, ainda mais quando é uma pessoa especial.

* Importante: TODOS OS TEXTOS E AS IMAGENS FORAM PRODUZIDOS PELO RESPONSÁVEL DESTE PORTAL. DETENTOR DOS DIREITOS AUTORAIS. RESPEITE OS DIREITOS AUTORAIS.

Voltar para o conteúdo