Horário Coletivo - I - ArteEducarJun15

Seguindo em frente a 16 anos!
Ir para o conteúdo
Educação > Educação
• A TEORIA e a PRÁTICA
Por: Vivaldo Armelin Júnior
Jul./2016
• Nos horários coletivos é muito comum ser um momento de leitura, leituras longas geralmente, com pouca reflexão e pouca produção, ou seja, lê-se muito, faz-se pouco, portanto com resultados ínfimos.
• Fazer estudo em horário coletivo é também criar propostas e projetos, não apenas os especiais, mas os que façam parte do conteúdo a ser trabalhado em sala de aula.
• É um grande erro fazer leitura sem no entanto desenvolver a parte prática. Apenas teoria não modifica a educação!
• Não se está dizendo que a leitura não é importante, mas ela tem que estar acompanhada da parte prática para que seja possível conduzir à construção do conhecimento e ao desenvolvimento cognitivo. Isso se dá também em relação ao professor e não apenas em relação ao aluno. Ler por ler acaba sendo tedioso e desmotivador, condição que impede a produção de projetos mais inteligentes e necessários.
• A discussão coletiva e a elaboração de projetos, se possível no mínimo inter-relacionando os conteúdos, do contrário não será um verdadeiro projeto, favorece o surgimento de projetos interdisciplinares e principalmente da troca de experiência. Como já foi destacado, ler é importante, porém, para um melhor trabalho é preciso fazer um estudo mais amplo, pois não adianta só ler e deixar a parte prática de lado. Teoria e prática devem estar unificados e integrados.
• Uma breve discussão e reflexão após, ou mesmo durante a leitura, não leva a um resultado eficiente em sala de aula por que não haverá, de maneira prática, uma ação voltada ao processo de construção do conhecimento.
• É preciso entender que não se está falando em projetos especiais, mas sim daquele projeto que favoreça o desenvolvimento do conteúdo de cada disciplina, mas na visão da inter-relação de conteúdos e na interdisciplinaridade.
• Para um professor educar, ele também precisa entender o que está lendo, o que é a inter-relação de conteúdo, a interdisciplinaridade, a construção do conhecimento e o desenvolvimento cognitivo, e principalmente, como esses processos são trabalhados em favor do conteúdo.
• Quando a prática não está integrada ao teórico ocorre a estagnação, como ocorre com o aluno que lê uma palavra nova, não a entende, mas continua lendo. No momento que ele deve explicar ou desenvolver um trabalho prático terá sérias dificuldades e a desmotivação será total.
• Bom trabalho coletivo!
Voltar para o conteúdo