Grav Intro01 - ArteEducarJun15

Seguindo em frente a 16 anos!
Ir para o conteúdo
Arte > Artes Grárficas > Gravura > Técnicas
Introdução à gravura
• Impressão com matriz de palito de fósforo sobre papel cartão.
• A impressão com a técnica palitografia que poderá ser trabalhada desde a alfabetização infantil e até com adultos, não apenas pela disciplina Arte, mas por todas as áreas do conhecimento.
 
Leia mais.
• As Técnicas de Impressão surgem em época ainda não muito bem definida, mas marcaram sua presença como Linguagem e Meio de Comunicação. Sua evolução é muito grande e complexa, da primeira impressão de Gutemberg, a Bíblia Sagrada, foi um grande salto, mais tarde surge a offset, técnica usada por gráficas de grandes jornais, revistas, editoras etc.
• Com a descoberta da Xilografia, depois da Tipografia, do Offset e mais recentemente da impressão via Computador, o mundo da impressão ganhou qualidade e resultados extremamente satisfatórios.
• Todos estas técnicas são muito bem exploradas pela sociedade e pela Indústria Gráfica de maneira a contemplar seus interesses, tudo com muita eficiência.
• O mesmo, infelizmente não podemos afirmar sobre a Educação, inexplicavelmente não acompanha e nem faz uso adequado destas tecnologias (sejam elas as mais simples ou as mais sofisticadas) no processo de formação educacional.
• O Site Impressão, do Portal ArteEducar, disponibiliza aos professores de qualquer áreas do conhecimento e ou disciplinas escolares, de maneira diferenciada e mais motivadora, maneiras que favorecerão a construção do conhecimento e o desenvolvimento cognitivo partir de um Projeto.
• Como sempre não estaremos apenas disponibilizando o ato de fazer, mas também questões para análise, reflexão e discussão.
• A impressão é um processo importante desde a pré-escola, passando pela alfabetização, ensino fundamental, médio e universitário na forma de livros, apostilas, revistas, jornais, textos manuscritos, digitais etc.
Materiais:
• Muitos materiais usados no dia a dia das casas e escolas poderiam estar sendo usados como matriz para impressão.
• Em casa e na escola muito material vira lixo. Um lixo que na realidade não é lixo, pois poderia ser reaproveitado.
• Quando trabalhamos em sala de aula as técnicas de impressão passamos a não ver o "lixo" como lixo, mas como suporte, matriz, tinta, técnica de impressão etc.
• São grandes as possibilidades de trabalho com as chamadas sucatas, desde o papel até a madeira, gesso, metal, borra de café, raspa da cabeça de fósforo queimada...
• Com o pote de margarina, por exemplo, é possível produzir pelo menos duas técnicas diferentes de impressão, ou seja, elas permitem confeccionar matrizes que produzem resultados diferentes.
 
Embalagens:
• A caixinha de leite longa vida, o saquinho plástico dos leites do tipo A, B, e C, as embalagens de refrigerante, o rolinho do papel toalha, papel higiênico, entre outros, poderão ser utilizados como matriz para impressão.
• As técnicas de gravação são excelentes para qualquer etapa do processo de alfabetização, é um grande auxiliar para corrigir o problema da escrita espelhada, proporciona outra visão da função da escrita, ela deixa de ser pessoal e passa a ser coletiva, pois impresso um texto ou imagem poderá ser distribuído.
• Os textos e imagens podem estar separados ou parte de um conjunto, por essa razão favorecerá a leitura midiática, não mais se restringindo à leitura do texto, mas de imagens fotográficas, ilustrações, desenhos, gráficos etc.
TÉCNICAs DE IMPRESSÃO

• Desde a antiguidade até os nossos dias, através do desenvolvimento tecnológico, foram desenvolvidas diversas técnicas de impressão com características próprias e peculiares. Sempre visando a comunicação ou uma forma de obter uma identificação ou a troca.

• As técnicas de impressão estão classificadas de acordo com a sua função, como:

1. a estamparia sobre metal, a moeda, por exemplo;

2. a estamparia de tecido, como a de uma toalha de mesa;

3. a gravação em suportes diversos, como em joias;

4. a impressão sobre papel, como a de uma publicação;

5. a fotografia é de certa maneira uma impressão, onde a luz é o gerador da imagem.

• Não iremos neste momento nos ater à estamparia metalúrgica ou joalheria, mas sim àquelas ligadas exclusivamente à produção gráfica - textos e imagens – sobre suportes como papel, plástico, tecido etc.
IMPRESSÃO EM OCO

• Referente às técnicas de impressão na qual a tinta é depositada no interior dos sulcos produzidos por uma ponta seca ou pela reação química (um mordente). As técnicas de impressão mais conhecidas são: ponta seca; água-forte; água-tinta; mediatinta; fotogravação; etc.
 A superfície da placa deverá ser limpa (mantendo apenas a tinta que está no interior dos sulcos) para a posterior impressão.
 Por meio da impressão calcográfica (em alta pressão) a tinta fixada nos sulcos é transferida para o suporte final (papel, plástico, tecido etc.). São muitos os suportes que poderão receber a impressão por meio desta técnica.
 É uma técnica que depende de uma prensa calcográfica, fator que dificulta sua utilização em sala de aula principalmente na pré-escola, ensino fundamental e médio. Mas possível no ensino médio técnico, nos cursos técnicos livres e nos universitários.
 Outro inconveniente é o preço das ferramentas "ponta seca" e o perigo de um ferimento. O ácido ou mordente também são perigosos, pois poderão ocasionar intoxicação e até queimaduras graves.
EM RELEVO

• Nestas técnicas de impressão a tinta é depositada sobre a superfície da placa (matriz) e que dará origem a imagem (figura, texto etc.) impressa ou gravada. As áreas baixas não receberão tinta.
 Algumas técnicas de gravação em relevo, são elas: Linóleografia ou Linografia; Xilografia; Gipsografia; água-forte em relevo, tipografia etc.
 São as técnicas mais comuns e de fácil utilização em sala de aula por alunos de qualquer faixa etária, pois a impressão poderá ser feita utilizando, por exemplo, uma colher de sopa de cozinha ou um rolo de macarrão (de madeira, metal ou plástico).
 São diversos os modelos das prensas, desde as de rosca até as mecânicas utilizadas em tipografia.
 As ferramentas utilizadas são geralmente baratas, mas nesse caso o cuidado deve ser grande para evitar ferimentos. É possível confeccioná-las em sala de aula usando um esmeril e prego de aço maior que 8 cm.
PLANOGRÁFICA
 
• As técnicas de impressão planográficas referem-se à aquelas que não tem na superfície da matriz relevos, ocos ou vazados, como é o caso do estêncil a álcool, muito comum no uso escolar, ou também da litografia (impressão sobre matriz de pedra – pedra litográfica, mas também sobre metal ou até lâmina grossa de vidro).
 São incluídas neste item todas as técnicas de monotipia.
 O estêncil a álcool é talvez a técnica mais barata de impressão. O mesmo não acontece com a litográfica, quando a pedra é a matriz.
 Quando produzida sobre uma placa de metal ou vidro aumentam as possibilidades de utilização em sala de aula.
VAZADO
 
• São consideradas técnicas de impressão vazadas aquelas que fazem uso de uma matriz que tem o papel semelhante a uma máscara, ou seja, protegerá uma determinada área da ação da tinta. Muito usada na impressão de camisetas.
• O Silkscreen ou Serigrafia é uma destas técnicas.
• Cada uma destas técnicas de gravação possuem muitas variações, por exemplo, a técnica vazado tem a xilografia, água-forte, gipsografia etc.
Voltar para o conteúdo