Gipspgrafia01A - ArteEducarJun20

Ir para o conteúdo

Gipspgrafia01A

Arte > Artes Grárficas > Gravura > Técnicas > Em Relevo
Gipsografia 02 • Gipsografia 01 •
 Material:
(A relação fornecida abaixo está descrita em partes para facilitar a produção na quantidade que será necessária para o trabalho com os alunos).
Gipsografia - II
Cuidados e Sugestões
(Para que se obtenha bons resultados é necessário alguns cuidados e este quadro tem esta função, pois além dos cuidados com o produto também existe o cuidado com os alunos. Algumas receitas exigem o uso de fogo, produtos químicos, ferramentas elétricas, entre outras possibilidades, e elas poderão causar acidentes).
  1. Papelão grosso liso (não corrugado ou ondulado).
  2. Gesso ou argila, ou ainda, argila fria (biscuit).
  3. Cola branca para madeira.
  4. Fita adesiva larga.
  5. Tesoura sem ponta.
  6. Régua de plástico para alisar o gesso, a argila ou a argila fria. O desenho será feito com o material ainda úmido.
  7. Sacola de supermercado limpa e sem furo para acondicionar restos de gesso.
Nota:
1. Material para um aluno.
2. O professor é quem deverá chanfrar os pregos no esmeril ou solicitar a um serralheiro.
  1. Este trabalho poderá ser desenvolvido por qualquer aluno a partir da 3ª série ou 4º ano (curso de nove anos) do ensino fundamental.
  2. O trabalho será desenvolvido com o gesso ainda úmido, portanto é interessante que o professor faça uma matriz para que os alunos possam experienciar e experimentar, antes de iniciar seu trabalho.
  3. O desenho deverá ser feito criando sulcos (ocos) com a ponta da tesoura. O trabalho deverá ser muito rápido, pois terá que ser terminado antes que o gesso esteja seco.
  4. O aluno deverá segurar a caixa enquanto desenha (modela).
  5. Não permitir brincadeiras indesejadas com a tesoura.
  6. O resto de gesso, ou seja, o gesso retirado do molde deve ser jogado diretamente dentro do saquinho de supermercado. Este não poderá estar furado.
  7. O desenho ou modelado na matriz estará espelhado seja um desenho, uma letra, número etc.
  8. Também poderão ser produzidas matrizes com letras ou sílabas e depois da impressão usar as cópias para montar palavras, criar um livro etc.
  9. A impressão só poderá ser feita quando a matriz estiver bem seca. Por essa razão é recomendado que a matriz fique secando por pelo menos 24 (vinte e quatro) horas.
  10. A matriz poderá ser feita com argila, esta também deverá estar bem seca antes de imprimir.
  11. Caso haja a possibilidade de queima da matriz em argila o resultado final será melhor e queimada o número de cópias será maior. A argila apenas seca produz no máximo dez cópias com qualidade, depois começa a soltar terra junto com a tinta.
  12. Geralmente a ato de desenformar a placa de gesso, a fôrma é perdida.
  13. Uma matriz entintada com o preto deverá produzir cópias pretas, a mesma regra para cinza e branco (todos os três neutros). O mesmo vale para as cores.
  14. Caso o suporte for preto, por exemplo, o da capa, será possível imprimir usando o branco ou uma cor clara.
 Como já foi descrito, nosso objetivo é a reflexão e um trabalho a partir de projeto, por este motivo este item, “Ato Pedagógico” irá descrever uma maneira de trabalhar com a receita disponibilizada a partir de um projeto.
1. A gipsografia é uma técnica de impressão barata e que produz grande quantidade de cópias, por essa razão é possível fazer um trabalho mais amplo, como a criação de um livros para a distribuição entre os alunos da sala e até para pessoas convidadas.
Nesta fase é importante produzir o desenho e oi texto em uma folha de caderno ou outro papel, mas já no tamanho da matriz. Caso optar por texto é importante fazer uma boa correção, porque uma vez marcada a matriz não há como corrigi-la.
É interessante que o texto seja escrito em letras gráficas (de forma), mas nada impede que sejam cursivas. Optar por textos curtos.
O tema para o desenho e ou texto deverá atender às necessidades do projeto.
Importante: Usar uma folha de papel carbono voltada para o verso da folha, desta maneira quando da transferência para o suporte (Futura matriz) o aluno já o terá espelhado. Feita a correção também usar o carbono.
2. Com o texto pronto e corrigido agora é o momento para transferi-lo, inverter o molde onde está o desenho e ou texto e transferi-lo, usando uma caneta ou ponta seca. Para que a folha não corra é importante fixar as suas laterais com fita crepe, adesiva larga ou outro tipo de fita adesiva, mas não colá-la sobre o desenho e ou texto. Então parta para a modelação. Desenho com detalhes muito pequenos dificultará a modelação, o mesmo acontece se as letras forem muito pequenas. Nesta fase será feita a modelação da superfície da matriz, a impressão e a encadernação ou colocação de moldura.
Pré-produção (Antes)
Produção (Durante)
Pós-Produção (Depois)
3. Com o trabalho pronto é importante realizar uma ou mais atividades, como exposição, palestra, debate, workshop, mas também um evento maior, como o lançamento do livro ou dos trabalhos em uma biblioteca pública de sua região. Este evento poderá ser realizado durante uma semana, por exemplo, e convidar outras escolas, pessoas internadas em abrigos, asilos, instituições de caridade etc.
PROCESSO (FASE A)
 +++++ Produção da "Fôrma", "Matriz" e "Impressão". +++
O trabalho poderá ser iniciado com ou sem o desenho da forma (letra ou figura) desejada.
0. A fôrma poderá ser feita de madeira ou até embalagem de margarina, retangular ou circular, cortada na aluta da futura matriz.
1. Na imagem, à direita, o modelo para a fôrma.
3. Despejar a massa de gesso no interior da fôrma até a altura máxima.
4. Com a régua de plástico alisar rapidamente a superfície. De imediato criar as áreas em oco.
6. Terminado o desenho colocar a peça para secar por pelo menos 24 horas. Apenas após este tempo desenformá-la. A forma será perdida.
5. Com a ponta da tesoura retirar rapidamente o gesso. Deixar um vão (oco) de aproximadamente 0,5 (meio) cm.
2. Colar as abas pelo lado de fora e não internamente como é comum. Depois passar a fita adesiva para reforçar. Aguardar a secagem por pelo menos 12 (doze) horas.
7. Após desenformar a matriz e com um rolinho (deste que entintam o dedo para tirar a digital) entintá-la. Cobrir toda a superfície da matriz. Colocar o papel sobre ela e com a colher atritá-lo contra o suporte (papel) para que a tinta seja transferida.
8.  Logo após a impressão colocar a cópia para secar por pelo menos 48 horas se tinta a óleo. Após a impressão o resultado será semelhante ao exemplo abaixo. Este em preto, mas...
9. ...também em azul...
10. ...laranja...
11. ...marrom, entre tantas outras cores.
12. É importante lembrar que uma matriz de gipsografia poderá produzir até aproximadamente 1.000 cópias, mas para isso é preciso ter muito cuidado para não danificar ou quebrá-la.
13. Durante a impressão a pressão da colher deverá ser forte. Cuidado para não deixar que o papel desloque.
14. Cada aluno poderá ter uma cópia e desta maneira ter um livro. Veja como encaderná-lo em "Como Fazer".
15. O aluno poderá assinar na área em branco abaixo da impressão e também numerá-la.
 Material:
(A relação fornecida abaixo está descrita em partes para facilitar a produção na quantidade que será necessária para o trabalho com os alunos).
  1. Um kg de gesso em pó - produz de cinco a oito moldes.
  2. Pote vazio e lavado de margarina de 500 g - de plástico - para a forma.
  3. Água limpa.
  4. Colher grande de metal.
  5. Bacia plástica para preparar o gesso.
  6. Pregos para modelar - 01 de cinco cm; 01 de 8 cm e 01 de 10 cm.
  7. Papel para as cópias, poderá ser papel jornal ou sulfite.
  8. Tinta própria para impressão ou tinta a óleo.
  9. Solvente para a tinta.
  10. Tecido para limpeza.
  11. Rolo para entintar.
Gipsografia - I
Cuidados e Sugestões
(Para que se obtenha bons resultados é necessário alguns cuidados e este quadro tem esta função, pois além dos cuidados com o produto também existe o cuidado com os alunos. Algumas receitas exigem o uso de fogo, produtos químicos, ferramentas elétricas, entre outras possibilidades, e elas poderão causar acidentes).
  1. Esta proposta é excelente para trabalhar a coordenação motora e a percepção visual por ser linear.
  2. Após a produção da base ou suporte é preciso alisá-lo, para isso você poderá usar lixa média para madeira ou atritar a pedra sobre uma superfície áspera.
  3. É preciso tomar cuidado com o uso do prego, por esta razão é preciso orientar o aluno para fazer o corte na direção contrária a do corpo.
  4. É um trabalho que obtém resultados motivadores na educação de adultos.
  5. É uma técnica que proporciona um trabalho de alfabetização e não apenas artístico.
  6. A reação química do gesso com a água é uma excelente oportunidade para ser explorada nas aulas de Ciências.
  7. Permite com certa qualidade até 1.000 cópias por matriz.
  8. Como toda matriz para impressão deverá ser produzida espelhada, seja desenho ou escrita, para que no momento da impressão a cópia saia correta.
  9. Como o gesso necessita de uma secagem mínima de meia hora para ser desenformado é interessante que todos alunos participem da confecção de todas as formas.
  10. É aconselhável que cada aluno produza pelo menos uma matriz e o trabalho final poderá ser um quadro ou um livro.
  11. É interessante produzir uma cópia para cada aluno e outras para distribuição.
  12. Como toda gravura o número da e de cópias deverá ser feito a lápis abaixo da área impressa.     
  13. Considerar o trabalho final após da quinta prova.
  14. Para cada cópia é necessário nova aplicação de tinta para que seja garantida a qualidade e a igualdade das cópias.
 Como já foi descrito, nosso objetivo é a reflexão e um trabalho a partir de projeto, por este motivo este item, “Ato Pedagógico” irá descrever uma maneira de trabalhar com a receita disponibilizada a partir de um projeto.
Pré-produção (Antes)
Produção (Durante)
Pós-Produção (Depois)
1. Proporcionar uma pesquisa sobre os materiais utilizados, por exemplo: Onde é encontrado? Como é fabricado? Onde ele pode ser utilizado? Como ele é mais utilizado? Possibilita reciclagem? Traz algum dano à natureza? Este material é utilizado para produzir matriz para impressão?
A partir desta pesquisa proporcionar debates e discussões antes do início do trabalho.
2. Nesta etapa, o professor deverá estar atento às dificuldades e aos problemas encontrados pelos alunos e, não apenas responder ou dar a solução, mas incentivar a pesquisa.
Deve-se ter muito cuidado ao cortar o gesso, pois pequenos erros são toleráveis, mas em se tratando de grandes erros a peça poderá ser perdida.
3. Proporcionar após a impressão discussão, exposição dos materiais criados, participação em debates, seminários, sobre os resultados obtidos e a sua utilidade, se possível abertos à comunidade escolar ou entre escolas.
Alega-se falta de verba, mas a realização de congressos interescolares trariam grandes possibilidades para a construção do conhecimento.
Pelo menos uma discussão sobre o projeto, bastante crítica, deve ser feita e quando outras novas soluções surgirem deverão ser abertas a novas discussões.
++++++++++++ PROCESSO (FASE A) +++++++++++++
Tenha todos os materiais em mãos antes de iniciar o trabalho.
1. Deixar as formas (embalagem margarina) alinhadas, de cinco a oito em uma superfície plana (horizontal) e firme. A quantidade de peças dependerá da quantidade de gesso colocado na forma. A altura ideal é a de no mínimo dois cm.
2. Colocar o gesso em pó na bacia e adicionar a água. Misturar até a obtenção de uma massa consistente, para isso se necessário adicionar mais água ou gesso.
3. Despejar o gesso nas formas e orientar os alunos para batê-las sobre a mesa, com firmeza, para a retirada de possíveis bolhas de ar, por umas dez vez e também para alisar a superfície da peça. Colocar a forma em uma superfície plana e horizontal para o gesso secar.
4. Enquanto esta primeira leva de peças são colocadas para secagem, repetir todo o processo para produzir as demais peças.
5. Após a secagem, por aproximadamente meia hora, podendo ser menor o tempo dependendo do clima, retirar a peça da forma com cuidado. Primeiro descole as laterais empurrando para fora a parede lateral da forma. Depois bata a forma sobre uma superfície sólida com firmeza, mas não com força, para apenas descolar o fundo.
6. Aguardar a secagem final da peça.
8. Desenhar sobre a superfície do gesso o modelo a ser trabalhado. Poderá ser um texto ou um desenho. Nesta proposta eles serão lineares. Não se esqueça de espelhar o seu desenho ou texto.
9.  Com o prego maior retirar o gesso das áreas que deverão ficar claras quando da impressão.
7. Alisar a superfície da matriz (lado mais largo) com lixa de madeira ou sobre uma superfície áspera.
10.  Usar os pregos menores para produzir linhas mais finas e áreas hachuradas de meio tom. Veja na segunda figura como foi trabalhada a montanha.
14. A técnica de impressão mais recomendada é a "Colher de Sopa". Vide. Não é recomendada a impressão que faça uso de prensas, pois o gesso poderá trincar ou quebrar.
11. Fazer a primeira prova e fazer os retoque necessários.
12. Caso tudo esteja certo repetir por pelo menos cinco vezes as provas para que a tinta infiltre no gesso e possa produzir resultados mais intensos.
13. Para entintar: Aplicar o rolinho, sem fazer muita pressão, sobre a matriz, por duas ou três vezes, até que esta esteja coberta com a tinta.
Voltar para o conteúdo