FantocheMeia01a - ArteEducarJun15

Seguindo em frente a 16 anos!
Ir para o conteúdo
Como Fazer > Bonecos

Fantoche de Meia I

Material

A relação fornecida abaixo está descrita em partes para facilitar a produção na quantidade que será necessária para o trabalho com os alunos.

Cuidados e Sugestões
Para que se obtenha bons resultados é necessário alguns cuidados e este quadro tem esta função, pois além dos cuidados com o produto também existe o cuidado com os alunos. Algumas receitas exigem o uso de fogo, produtos químicos, ferramentas elétricas, entre outras possibilidades, e elas poderão causar acidentes.

  • Um par de Meia masculinas ou esportivas usadas ou não.

  • Tesoura.

  • Tecido vermelho ou outra cor para fazer o interior da boca.

  • Agulha - vários tamanhos e linha - várias cores (pode-se usar linha de crochê.

  • Cola branca. Como opção para a cola dos olhos é a cola quente.

  • Duas bolinhas de papel, isopor, borracha, para os olhos.

  • Papelão ou papel cartão.

  • Tinta guache ou de tecido para a pintura de detalhes como olhos, dentes, cicatriz etc.

  • Linha de crochê ou lã para o cabelo, bigode, barba etc.

  • Jornal velho.

  • Recomendado para alunos da pré-escola, ensino fundamental, médio ou superior.

  • Quando o trabalho for com alunos menores é recomendado o uso de agulha sem ponta.

  • O uso de meias em cores diferentes traz bons resultados.

  • Botões, tampinhas de refrigerantes, olhos industrializados, entre outras possibilidades, também poderão ser usados para fazer o olho

  • Para a confecção de bonecos de animais pode-se tingir a meia.

  • Sementes ou grãos poderão ser usadas para os olhos, como feijão, de girassol, melancia, caju, milho, ervilha etc.

  • Deixar o aluno produzir o seu fantoche, a ajuda deverá vir apenas quando a dificuldade for muito grande.

  • O professor deverá ser parte integrante do processo e poderá estar produzindo o seu boneco, mas evite que seja feito antes ou durante a produção para que não exista comparações.

  • Outros materiais poderão ser usados como cabelo, por exemplo: palha de aço, esponja sintética, fibras secas vegetais, barbante, algodão, tecido etc.

Como já foi descrito, nosso objetivo é a reflexão e um trabalho a partir de projeto, por este motivo este item, “Ato Pedagógico” irá descrever uma maneira de trabalhar com a receita disponibilizada a partir de um projeto.

Pré-produção (Antes)

1. É recomendado que o início do trabalho seja com uma apresentação teatral de fantoches, mas caso isso não seja possível há ainda a possibilidade da exibição de um vídeo, fotografia ou a apresentação de algum tipo de boneco, mesmo industrializado. É importante que seja evitada a apresentação de bonecos muito sofisticados para não inibir ou desestimular os alunos.
Permitir que o aluno possa manusear os bonecos.
Trabalhar a produção de texto, seja ele oral ou escrito, é parte do processo. Para a produção dos textos é importante que seja trabalhada uma mídia, como: jornal, revista, vídeo, televisão, livro, sobre o tema base para o texto. Por este motivo este trabalho deve ser feito na forma de um projeto, se possível interdisciplinar e com a participação de todos os alunos, mesmo aqueles mais pobres.
Outra indicação é o ato de contar história, pois esta experiência servirá para o aluno perceber a interpretação, a expressão facial, oral e corporal.
Quando o aluno ainda não sabe ler e escrever o uso da fala é importantíssimo, mas o mais importante é o registro desta fala, seja ele através de gravação de áudio ou escrita pelo professor.
Caso a violência esteja presente na história é necessário que seja discutido com o aluno a importância do bom relacionamento e de um trabalho que proporcione a consciência de convivência comunitária e o respeito a todo ser vivo, ao meio e a natureza.
O tema deve ser escolhido com a participação do aluno, por sugestão do professor(es) envolvido(s) no trabalho. É recomendado que sejam formados grupos pequenos e que cada um tenha uma função dentro deste, mas todos alunos deverão produzir o seu boneco e a respectiva roupa.
O tema reciclagem não deve ser esquecido neste processo.

Produção (Durante)

2. Este momento é o mais importante no que se refere ao despertar do interesse do aluno e para que isso aconteça é preciso  que todos alunos tenham acesso a todo material  necessário para a confecção do trabalho, ou seja, o material oferecido e recomendado seja de uso coletivo.
Durante a produção o ato de contar história ajudará no trabalho final, a apresentação.
Explorar com indagações o conhecimento dos alunos sobre todos os materiais usados, se algum dele é natural, produzido de forma artesanal ou industrial, sua origem, quais outras funções destes etc.
Assistir a programas de televisão que contenham bonecos, não necessariamente fantoches, é importante para que os alunos tenham a sua imaginação aflorada.

Pós-Produção (Depois)

3. Como sempre é importante realizar uma exposição ou mostra, seguida de apresentações dos trabalhos realizados pelos alunos, mas só a exposição não completa o trabalho, em paralelo poderão ocorrer palestras (feitas pelos alunos ou convidados), debates, fórum... Estes eventos deverão ser abertos à comunidade escolar (toda equipe da escola, alunos, pais e outros componentes da comunidade) e proporcionar uma integração maior entre a escola e a comunidade. Deixar que o aluno demonstre aos visitantes como foi a produção dos fantoches, textos e ensaios faz com que ele desenvolva a oralidade e a interação comunicacional.
Produzir um vídeo relatando todo o processo é muito importante e uma forma de registro. Fornecer uma cópia do vídeo para os alunos é fundamental.

PROCESSO

1. Calçar a meia na mão para verificar se ela é de tamanho compatível.

2. Cortar o fundo da meia onde será feita a boca

3. Cortar o papelão ou cartão na forma que se deseja a boca (fig.02), como nos exemplos.

4. Cortar o tecido vermelho no mesmo tamanho do papelão.

5. Dobrar o papelão ou cartão ao meio.

6. Colar o tecido vermelho na parte interna do cartão dobrado (fig.05), esperar secar por no mínimo 20 minutos.

7. Enquanto é aguardada a secagem colocar a linha na agulha.

8. Fixar a linha com um nó na parte interna da meia próximo da área a ser costurada.

10. Colocar o papelão na área interna da parte cortada da meia. Costurar dobrando a meia sobre a parte externa do papelão ou cartão até completar a circunferência.

9. Colocar o papelão na área interna da parte cortada da meia. Costurar dobrando a meia sobre a parte externa do papelão ou cartão até completar a circunferência.

11. Para facilitar o papelão ou cartão poderá ser perfurado ou marcado antes da costura.

12. Ao término da costura inverter a meia e fixar a linha dando nós.

13. Colocar por dentro da meia a bolinha de papel a uns dois ou três centímetros da boca e pelo lado de fora fixá-la à meia amarrando-a.

14. Fazer o mesmo com a outra bolinha.

15. Fazer o mesmo com a outra bolinha.

16. Cortar o papelão na forma da mão e separá-lo.

17. Enrolar uma folha de jornal formando um bastão e colar ao final. Aguardar a secagem da cola.

18. Cortar o bastão em pedaços com aproximadamente 7 a 10 cm.

19. Cortar o outro pé da meia abrindo-a e cortar outros dois pedaços para colar sobre o bastão sendo 1 e 1/2 cm. maior que o bastão.

20. Colar a meia sobre o bastão com a cola branca envolvendo-o totalmente, mas não esquecer de deixar a sobra, iguais, dos dois lados do bastão.

21. Costurar o bastão à meia. Não se esqueça de fixar a linha por dentro antes de iniciar a costura. Acompanhar a circunferência do cilindro.

22. Ao terminar dar o nó na linha por dentro.

23. Pegar uma das mãos e colar com cola branca ou quente dentro da sobra do tecido da meia. Para melhor acabamento dobrar a ponta para dentro antes de colar.

24. Caso desejar poderá pintar as mãos.

25. Pegar por fim a linha ou lã e formar chumaços com o tamanho desejado do cabelo, então amarrar no meio e costurá-lo à parte superior da cabeça do boneco. A quantidade de cabelo também deve atender ao especificado pelo aluno, esta regra vale também para a sua cor.

26. Outra possibilidade de uso da lã é fazendo um pompom desfiando a lã após a sua amarração.

27. Outra opção é a colocação das pernas e pé que é feita da mesma maneira que os braços. Os braços e pernas poderão ter dobra melhorando a mobilidade dos mesmos. Será possível a colocação de língua ou dente. O papelão ou cartão da boca poderá sofrer dobras dividindo-os de forma diferenciadas para que seja possível a colocação de dentes maiores ou simplesmente para diferenciar a aparência da boca.

Voltar para o conteúdo