ESCRITA E LEITURA - I - ArteEducarJun15

Seguindo em frente a 16 anos!
Ir para o conteúdo
Comunicação e Expressão > Escrita & Leitura

Por: Vivaldo Armelin Júnior - 2009 - Parte I

• Quando se fala sobre a escrita e a  leitura é muito comum pensar nas maneiras tradicionais para desenvolvê-las, técnica que teve um papel importante para o desenvolvimento em uma época onde a tecnologia não dominava.
A escrita é pensada como um processo exclusivo das disciplinas de língua e alfabetização. Um erro gravíssimo que precisa ser tratado com mais seriedade em razão do cerco tecnológico que acompanha a formação das pessoas, não importando a faixa etária.
A escrita, o registro das letras, é um código convencionado que não passa de um desenho linear e abstrato. Cada uma das letras possuem suas formas, todas abstratas, seja ela ocidental, oriental, russa, grega etc. No caso da escrita ocidental, as letras estão associadas a sons.

• Baseado nesta definição o professor tem em mãos outras possibilidades ou lhe é favorecido a produção de outras maneiras para o desenvolvimento da escrita, bem como suas normas e regras. Não é mais possível alfabetizar ou formar sem o uso da tecnologia, das mais simples às mais complexas. É o trabalho midiático que vai do caderno, o lápis até a televisão, computador e a internet, as músicas...
Escrever é desenhar e como o ato de desenhar exige atenção, imaginação, interpretação e codificação, o ato de escrever também possui essas qualidades e exigências. Sem o desenho não haveria a escrita, o registro gráfico, a perpetuação de uma ideia, fato, acontecimento etc. Com o desenvolvimento tecnológico esta condição de aprendizado não pode mais ser feita apenas sobre uma folha de papel, um lápis e uma borracha. O computador é fundamental neste processo, bem como a televisão, vídeos etc.
Todos os professores, seja ele alfabetizador ou especialista (Fundamental um ou dois) não pode mais pensar na escrita como um elemento independente das artes e da comunicação.

• A escrita e a leitura, nesta situação, ganham novas definições e consequentemente novas maneiras de entendimento, pois ler não é apenas decodificar ou interpretar o registro gráfico organizado das letras, mas também do áudio, vídeo, desenho, pintura, fotografia, olfato, paladar, escultura etc.
• Para que um ser humano desenvolva a capacidade de desenhar é preciso de treinamento, mas para que isso ocorra deverá haver motivação, interesse, curiosidade e vontade. O uso do computador é intuitivo e mais interessante, é por esse motivo que é preciso repensar o processo de aprendizado da escrita e o desenvolvimento da leitura.
Para concluir, escrever é criar uma obra organizada para que possa ser interpretada, não apenas decodificada, e por consequência, entendida, uma mensagem, mas não é mais possível dizer que esta é a única forma de leitura e que durante o processo educacional sejam desprezadas todas as demais maneiras de leitura e a tecnologia.

Voltar para o conteúdo