Comunicação01 - ArteEducarJun20

Seguindo em frente a 17 anos!
Ir para o conteúdo

Comunicação01

Comunicação e Expressão > Relação Comunicacional
Comunicação 05 Comunicação 04 Comunicação 03 Comunicação 02 Comunicação 01 •
Comunicação V
Ambiente 01
Por: Vivaldo Armelin Júnior – Mai./20
• A comunicação em Sala de Aula deve ser bidirecional, professor/aluno e aluno/professor, como já foi descrito em outras matérias, mas poucos consideram o “ambiente” como fator de interferência para um resultado satisfatório. O ambiente, que pode ser até mesmo a própria Sala de Aula, interfere por exemplo com relação à temperatura interna, vento frio e até uma iluminação inadequada. Estes exemplos interferem na comunicação, mesmo que seja um trabalho belíssimo, pois a atenção será prejudicada. Não há comunicação adequada quando não há condição de trabalho, outro exemplo, o famoso ar condicionado, já vi diversos palestrantes perderem a voz por causa do mau ajuste deste equipamento ou de sua limpeza.
• Para que a comunicação durante uma aula, palestra, conferência, entre outras opções, o ambiente, seja ele interno ou externo vai interferir. Vamos falar um pouco do ambiente externo, um espaço que tem tudo para interferir durante uma excursão pedagógica e as explicações do professor ou da professora, ainda, de um monitor ou monitora, bem como nas indagações dos alunos ou alunas. Buzinas, conversas paralelas, trânsito, máquinas etc., por essa razão muitos profissionais usam um pequeno ampliador de som com microfone preso na cintura. Essa opção ajudará muito, mas não resolve o problema da indagação do aluno.
• Esses aparelhos geralmente são conectados por fio e usam pilha ou bateria, um inconveniente, caso a atividade seja em um museu, exposição, teatro etc. A solução é juntar ao máximo os alunos e alunas em torno daquele ou daquela que está orientando ou explicando. O ideal é que se formem grupos de no máximo 15 pessoas, caso o grupo seja maior, é importante dividi-los e aqueles que não estão participando da explicação ou já fizeram, desenvolvem outras atividades, ou ainda, outro professor ou professora, os orienta ou explica outro tema inerente à excursão pedagógica.
• Falar em voz alta é importante, mas nem todos os ambientes permitem essa ação, por exemplo, uma igreja histórica, em seu interior tem que se falar baixo, o ideal é mais uma vez dividir o grupo. Para garantir a comunicação é preciso que os alunos e alunas não tenham sua atenção desviada. Uma sugestão é em primeiro momento deixa-los se adequarem ao ambiente, considerando que na U.E. tenha havido uma orientação sobre a atividade. Bom trabalho e boa experiência!
 Comunicação IV
 Por: Vivaldo Armelin Júnior – Mai./17
• O caminho mais adequado para que haja uma comunicação mais coerente em sala de aula ou mesmo durante uma atividade externa, como uma excursão pedagógica, é aquela em que haja a interação entre comunicador (emissor) e ouvinte (receptor), como já destacamos em outros textos. Uma oportunidade para a troca de experiência entre professor e aluno, condição importante para a construção do conhecimento.
• A interação não ocorre apenas entre o ser humano e a máquina, no caso mais recente, o computador, celular, smartphone, entre outras tecnologias, mas não se esquecendo que as tecnologias milenares são parte deste processo, portanto o lápis, caderno e outras mídias são necessárias e úteis.
• A interação ocorre quando há a troca de experiência, entre vivências e conhecer o meio social daquele aluno. Hoje em dia todos os meios de comunicação (mídias) têm grande preocupação com a interação direta e imediata com seus expectadores para que possam aumentar a audiência (venda). Na sala de aula não se vende conhecimento, mas sim. O processo de construção do conhecimento é todo baseado na interação entre alunos e alunos, alunos e professores, alunos e a comunidade escolar, professores e a comunidade escolar. Uma etapa que não pode ser pulada ou ignorada, caso ocorra segue-se para a educação tradicional e básica.
• Com a interação exige-se um crescimento baseado no mínimo necessário e não no mínimo, a partir dessa "conquista" direciona-se os trabalhos para o aprofundamento. A pesquisa é outra etapa fundamental para a comunicação interacional, pois ela exige atenção, vontade, dedicação e conhecimentos prévios. O problema que o aluno acha que pesquisar é resumir, em outras palavras, ele copia parte de um texto e entrega como um trabalho dele. Nesse caso não há interpretação, entendimento e não ocorrerá uma conclusão avaliativa do novo conhecimento. A pesquisa poderá ser em qualquer meio de comunicação e expressão humana, inclusive com as novas tecnologias.
• A leitura (da escrita, fotografia, pintura, desenho, vídeo, filme etc.) e depois a análise oral ou escrita, por exemplo, levará a uma interação maior entre professor e aluno.
• A interação corresponde não apenas ao ato de tirar uma dúvida ou de uma explicação, mas ao ato de proporcionar novas dúvidas, tudo pela problematização e sua solução, não pelo professor, mas por ambos, professor e aluno.
 Comunicação III
 Por: Vivaldo Armelin Júnior – Mar./17
• Comunicar-se é saber ouvir, entender, mesmo quando há discordância, por isso ela deve ser bilateral e simultânea. O comunicados, que pode ser o aluno ou o professor, não deve ser a última palavra, pois o mais interessante é que problematize, provoque o aluno em suas indagações e os motive para a pesquisa em qualquer um dos meios de comunicação. Muitas pessoas só lembram da leitura e pesquisa em textos, mas esta poderá ser feita em vídeo, fotografia, desenho, pintura, escultura, cinema, televisão etc.
• A televisão, o cinema e o vídeo se comunicam de forma unilateral, pois não permitem a interação. Um programa ao vivo de televisão ou rádio, já é possível acontecer, mas essa "interferência" é controlada, o que acaba deixando para os produtores a palavra final. Geralmente simulam um debate, simulam aceitar opiniões que divergem da sua e o resultado final é o que eles desejam e que, de acordo com pesquisas, lhes proporcionará maior audiência.
• Na sala de aula é preciso analisar os textos, vídeos, áudios, pinturas, desenhos, fotografias, esculturas, gravuras, entre outras expressões humanas, para não ocorrer, do aluno, aceitar passivamente a conclusão do autor daquele trabalho, ela pode não ser a mais satisfatória e verdadeira. É o que acontece nas novelas, grande formadora de opinião, que geralmente estão erradas, denigrem o cidadão e visam apenas lucro.
• A leitura de uma imagem fotográfica é receber uma informação/mensagem daquele que fotografou, nem sempre será coincidente a opinião daquele ou daquela que visualizam a obra e o autor, por essa razão, é preciso e necessário haver troca de informação entre professor e aluno. A sala de aula ou atividades externas devem ser abertas a uma comunicação bilateral, nunca unilateral.
 Comunicação II
 Por: Vivaldo Armelin Júnior – Jun./16
• Os meios de comunicação nos nossos dias procuram de alguma maneira realizar uma comunicação bilateral para que o público possa interagir e interferir na programação e essa pode ocorrer de duas maneiras, direta e indiretamente.
• A direta pode ser por meio de um link ou diretamente, ao vivo, de um estúdio ou externa, por exemplo. Já a indireta poder ocorrer por meio de cartas, e-mails, sites P2P, telefone, celular, vídeo conferência, entre outras opções.
• Na sala de aula essa preocupação deve ser uma realidade. O professor é o detentor de um saber, mas não total, mesmo ele erra e em certas situações até desconhece um determinado assunto. O mesmo acontece com o aluno, pois também tem uma experiência vivencial em sua comunidade.
• Por essa razão, a comunicação na sala de aula deve ser bidirecional, em muitas situações direta, mas também de maneira indireta. Favorecer a comunicação bilateral leva à curiosidade e até a conclusões, seja qual for o assunto, tema ou conteúdo trabalhado.
• Nessa situação, de comunicação bilateral, a inter-relação de conteúdo não poderá ser desprezada, pois é parte do processo. É muito comum haver perguntas por parte dos alunos, quando se está trabalhando um determinado conteúdo, que tem relação com ele ou aquela pergunta muito comum — “Para que serve isso?”. Esse é o momento para a inter-relação de conteúdos por parte do professor.
• Existem duas maneiras para trabalhar essas questões, a primeira com o professor explicando e a segunda, mais interessante, o professor lança uma problematização, desta maneira conduzirá a uma pesquisa, que poderá ser imediata, usando o celular, computador ou em livros, ou ainda, para posterior pesquisa e apresentação dos resultados em aula posterior.
 • O mais importante é a interação e a intervenção, tanto por parte do aluno, bem como por parte do professor, apenas dessa maneira haverá uma comunicação bilateral, emissor/receptor e receptor/emissor, ou seja, professor/aluno e aluno/professor.
 Comunicação I
 Por: Vivaldo Armelin Júnior
• A comunicação ocorre de diversas maneiras, seja por um desenho, gravura, pintura, escultura, áudio, escrita, fotografia, cinema, vídeo etc. Hoje em dia temos mais uma opção que é a linguagem multimídia, o computador.
• Toda essa tecnologia é denominada TIC – Tecnologia da Informação e Comunicação, e mais especificamente a TIIC – Tecnologia da Informação, Interação e Comunicação – que se refere ao computador.
• Essas tecnologias foram e são atualizadas a cada ano que passa, mas cada uma tem uma forma de se comunicar, direta ou indiretamente, unidirecional ou bidirecional, ou ainda, multidirecional.
• Um texto, em um caderno, livro, jornal ou revista, por exemplo, são unidirecionais, pois aquele que escreveu nos conduz a suas ideias e ideais, cabe ao leitor saber analisar, interpretar, entender, concluir e criticar. Alguns jornais e revistas possibilitam um retorno do leitor, uma forma de interação não completa, ela não mudará o que foi escrito quanto às ideias e ideais, nesses casos a interação é indireta e não em tempo real, pois será preciso esperar a próxima edição.
• Outros meios de comunicação permitem a interação parcial, como, as emissoras de rádio e televisão, que usam o telefone ou link. Nesses casos também não haverá interferência, mas sim uma opção, por exemplo, quando se pede uma música, vota-se para o final de uma novela, série etc.
• Mesmo a tecnologia multimídia não há uma interação total, pois ainda hoje não como interagirmos com todos os nossos potenciais perceptivos. O máximo que conseguimos é pela escrita, voz (fala) e visão, pelo tato apenas com os teclados especiais e telas sensíveis ao toque, o paladar e olfato ainda estão fora desta comunicação. Porém, este é o meio de comunicação mais completo de todos por integrar todos os outros, do desenho ao vídeo.
• Uma verdadeira interação ocorre com a comunicação bilateral, ao enviar e receber um e-mail em tempo real, ao comunicar-se por meio dos P2P, entre outras opções, mas também com o computador. É óbvio que esta é limitada, pois as respostas do computador são aquelas que foram inseridas por um programador, o computador não pensa para responder, ele apenas busca uma resposta predefinida.
Voltar para o conteúdo