Ampulheta1a - ArteEducarJun15

Seguindo em frente a 16 anos!
Ir para o conteúdo
Como Fazer > Protótipos

AMPULHETA  I

Material

A relação fornecida abaixo está descrita em partes para facilitar a produção na quantidade que será necessária para o trabalho com os alunos.

Cuidados e Sugestões
Para que se obtenha bons resultados é necessário alguns cuidados e este quadro tem esta função, pois além dos cuidados com o produto também existe o cuidado com os alunos. Algumas receitas exigem o uso de fogo, produtos químicos, ferramentas elétricas, entre outras possibilidades, e elas poderão causar acidentes.

  • Duas garrafas Pet de 600, 1000 ou 2000 ml.

  • Prego de aproximadamente 1,5 mm de espessura.

  • Fita isolante preta.

  • Areia bem fina e peneirada.

  • A ampulheta poderá ser produzida por qualquer aluno, não há nenhuma restrição.

  • É importante que alunos façam a cronometragem do tempo de queda da areia, para se preciso adicionar ou retirar antes de concluir o trabalho.

  • Também é interessante produzir ampulhetas que permitam identificar espaços de tempo diferentes.

  • Pode-se usar também embalagens de leite fermentado, bastando colocar uma lâmina de papelão com um furo entre as garrafinhas e uni-las com fita isolante preta.

  • A embalagem necessariamente tem que ser transparente, incolor ou não.

  • É possível também trabalhar com embalagens de vidro, mas estas são mais perigosas e poderão causar acidentes.

  • Os trabalhos com a ampulheta não se destinam apenas a alunos de 1ª a 4ª série do ensino fundamental, mas para alunos de séries superiores e até mesmo universitários.

Como já foi descrito, nosso objetivo é a reflexão e um trabalho a partir de projeto, por este motivo este item, “Ato Pedagógico” irá descrever uma maneira de trabalhar com a receita disponibilizada a partir de um projeto.

Pré-produção (Antes)

1. O primeiro passo é disponibilizar material ou local para a pesquisa sobre este aparelho, desde sua forma até a história.
Outra pesquisa interessante e importante refere-se à produção comercial deste aparelho.
Comparar o funcionamento e leitura da ampulheta de como é feita a leitura das horas, minutos e segundos, no aparelho analógico e digital.
Este trabalho é muito interessante por permitir que sejam disparados uma série de outros projetos usando a ampulheta como tema gerador e suporte.

Produção (Durante)

2. Nesta etapa, o professor deverá estar atento aos problemas encontrados pelos alunos e não apenas responder ou dar a solução, mas incentivar a busca por uma solução.
Esclarecer qual é a função do relógio analógico em discussões durante o processo de produção.
É interessante que o professor trabalhe neste projeto orientado pelo tempo para que o aluno se habitue com o espaço e limite de tempo.
Com a fabricação de ampulhetas com tempo de derrame da areia diferentes entre si, as possibilidades de se criar outros projetos usando este objeto é muito grande, desde competições esportivas até o tempo máximo de uma atividade, por professor de Português, Matemática, História, Geografia, Ciências, Artes, Educação Física etc.

Pós-Produção (Depois)

3. As exposições contendo os trabalhos produzidos são fundamentais e imprescindíveis, pois é neste momento que o aluno poderá, em contato com outros colegas, explicar aquilo que produziu e como o fez.
Os relógios produzidos poderão ser utilizados para identificar diferentes fusos horários, ou para servir de identificador do horário de entrada, intervalo, saída etc.
Com um calendário poderá também servir de uma agenda que identifique hora e data de um evento, atividade, excursão etc.
Fazer relação entre fatos e acontecimentos artificiais e naturais usando a ampulheta para medi-los.

PROCESSO

Tenha em mãos todos os materiais antes de iniciar o trabalho.

1. Lavar e deixar secar duas garrafas Pet e uma de suas tampas. A secagem poderá levar em torno de 24 horas ou mais. Não há como produzir uma ampulheta com a garrafa ainda úmida.

2. Coletar a areia e deixar secar por umas 24 horas.

3. Peneirara areia, quando ela estiver bem seca, e limpá-la se necessário.

4. Montar o corpo colando as abas, como é indicado abaixo.

5. Com um prego furar a tampa sem deixar rebarbas em nenhum dos lados.

6. Encaixar as duas garrafas pela boca e bem alinhadas, por esta razão é importante que mais de uma aluno trabalhe na sua montagem.

7. Cortar um bom pedaço de fita isolante preta e unir as duas garrafas. Deixar a união bem reforçada para não haver perigo da soltura das garrafas.

Voltar para o conteúdo